Paixão platônica correspondida

Uma paixão platônica pode durar a vida inteira. Um amor construído em silêncio não tem falhas, atritos e nem sofre os desgastes normais de uma relação se a outra parte não fizer ideia de que é amada. Mas, o que será que acontece se por acaso a outra parte sentir o mesmo? Poderão duas pessoas se apaixonarem platonicamente uma pela outra ao mesmo tempo?


Por quanto tempo poderá resistir essa paixão? Como se sente um cortejador sendo cortejado por sua idealização? Poderão os sentimentos mútuos e mudos se encontrarem em alguma dimensão paralela e fomentarem uma aproximação terrena?  Ou poderá acontecer o contrário? Um apaixonado platônico ao ver que existe chance de reciprocidade, manterá sua chama? Consigo imaginar alguns românticos entrando em pânico nesta situação.


A paixão platônica correspondida é uma bomba relógio de dois tempos. A primeira explosão é aquela já cantada em prosa e verso, onde amantes vêem diante de um espelho sentimental seu objeto de desejo e se afogam em infinitos homônimos de prazer. Mas aqui quero tratar da segunda explosão. O choque de realidade. Essa barra inevitável que é a frustração de expectativas.


O maior dilema da paixão platônica correspondida é se confrontar com a outra pessoa de verdade. Afinal, você não se apaixonou pela pessoa, mas pela ideia que você mesmo criou à sua imagem e semelhança! Quão kafkaniano é conhecer alguém que tem a mesma aparência, voz e até nome de quem você está apaixonado, mas que na verdade é uma pessoa com vontades, vícios e virtudes diferentes de sua paixão?


Nenhum relacionamento a dois pode competir com um relacionamento criado apenas por um. E melhor, criado em um universo não sujeito às leis da física, da estatística, da psicologia e do tempo. Neste mundo idealizado, se algo não vai bem basta um pouco de imaginação para se viver o momento novamente, quantas vezes forem necessárias, até a perfeição ser atingida.


E quem irá se arriscar a perder uma paixão perfeita? Só um tolo! A melhor coisa que apaixonados platônicos correspondidos racionais podem fazer é fugir um do outro. Para bem longe! Para outra  cidade. Com um novo nome! Acabe com sua materialidade e viva no seguro mundo dos sonhos! E para o tolo que não seguir este conselho; saiba que sua paixão irremediavelmente irá acabar, dando  lugar a uma grande frustração. Ou a um grande amor.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *